Nasceu em 30 de Abril de 1839, no engenho de Riacho Grande, Ipioca, distrito de Maceió. Filho do casal Ana Joaquina de Albuquerque Peixoto e Manuel Vieira de Araújo Peixoto, veio de origem pobre, sendo criado pelo seu tio e padrinho, coronel José Vieira de Araújo Peixoto. Coronel José Vieira era senhor de engenho e político provincial influente.

Após fazer os estudos primários em Maceió, mudou-se para o Rio de Janeiro, capital do Império, em 1855. No ano de 1857 tornou-se soldado no 1º Batalhão de Artilharia a Pé, entrando no ano seguinte para a Escola Militar do Rio de Janeiro. Em 1861, já era formado como Segundo-Tenente e em 1866, Primeiro-Tenente.

Com o inicio da Guerra do Paraguai, seguiu para o Rio Grande do Sul para ampliar os efetivos do Exército nacional.  Participou dos mais importantes episódios militares da guerra, como as batalhas do Tuiuti, Itororó, Lomas Valentinas e Angostura. Em 1869 foi promovido a major por atos de bravura.

Abolicionista, em 1883 recebeu o titulo de sócio do Clube Abolicionista Ceará Livre graças a suas ideias a respeito da libertação dos escravos, que aconteceria no Ceará no ano seguinte.

Em 23 de Novembro de 1891 assume a Presidência da República, após a renúncia de Deodoro da Fonseca. Governou até 15 de Novembro de 1894, quando, já com a saúde precária, mudou-se para uma Fazenda em Barra Mansa, Rio de Janeiro, onde em 1895 morreu.

Acesse pelo celular ou tablet:

Av_Mal_Floriano_Peixoto

REFERÊNCIAS:

ABREU, Alzira Alves de et al (coords.). Dicionário Histórico-Biográfico Brasileiro – Pós-1930. Rio de Janeiro: CPDOC, 2010. Disponível em: <http://cpdoc.fgv.br/sites/default/files/verbetes/primeira-republica/PEIXOTO,%20Floriano.pdf.&gt;. Acesso em: 18/04/2016

Anúncios