Filho de Amélia Barbosa de Moura e Joaquim Mariano de Moura, Getúlio Barbosa de Moura nasceu em Itaguaí, no dia 10 de junho de 1903. Estudou no Colégio Pedro II e se formou pela Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro, tornando-se, em 1924, funcionário da Estrada de Ferro Central do Brasil.

No movimento denominado Revolução de 30, atuou como chefe rebelde do município de Nova Iguaçu, depondo o prefeito da cidade e assumindo o cargo. Após alguns conflitos, Getúlio foi afastado do cargo e processado por crime político, sendo anistiado por Vargas em 1931.

Ocupou uma cadeira na Câmara Municipal de Nova Iguaçu e foi presidente da casa de 1936 a 1937, quando se instaurou o Estado Novo e se deu o fechamento dos órgãos legislativos no país. Em 1945 retorna à Prefeitura de Nova Iguaçu, permanecendo nela até novembro do mesmo ano.

Ainda em 1945, elege-se Deputado Estadual do Rio de Janeiro pelo Partido Social Democrático. Reelegeu-se pelo mesmo partido de 1950 a 1954, com votos derivados da Baixada Fluminense. Nessa região, havia uma grande concentração de população pobre, sobre a qual chefes políticos como Getúlio de Moura, também conhecidos como “caciques”, controlavam os donos dos cartórios da região, distribuindo favores e controlando assim seus “currais eleitorais”.

Casado com Maria Barbosa de Moura, fundou a Associação Rural de Nova Iguaçu e presidiu a Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro, até o ano de sua morte, que se deu em 10 de julho de 1981.

Acesse pelo celular ou tablet:

Av_Getulio_De_Moura

FONTES: BATISTA, Allofs Daniel. Onze prefeitos em onze anos: o campo político iguaçuano nas páginas do correio da lavoura (1964 – 1975). Rio de Janeiro: PPGH – Unirio, 2014.

 

Anúncios